Mesmo depois de tanto fugir da negociação de suas dívidas, o Barão de Ouro Verde (Ary Fontoura) finalmente é derrotado por Julieta (Gabriela Duarte). A Rainha do Café não suporta mais ouvir as desculpas do barão e decide tomar de uma vez por todas o que lhe é direito. Ela vai à fazenda dos Cavalcante acompanhada por um oficial que anuncia que a propriedade agora lhe pertence.

Todos ficam surpresos, principalmente Ema (Agatha Moreira), que exige explicações de seu pai e avô.  “Vão continuar esperando que os acontecimentos me revelem o que eu devia saber por vocês?”, diz Ema, em choque. Julieta tripudia a situação da moça dizendo que eles estão completamente falidos e precisam deixar o lugar. “Saiba que o pior é que fiz uma proposta irrecusável ao seu avô, mas ele rejeitou e não me deu outra alternativa. Portanto, sendo eu a detentora das dívidas de vocês, tenho o direito de vender este imóvel”, anuncia Julieta, impassível.

O episódio vai ao ar segunda-feira, dia 7 de maio
Ema cai em prantos e se recusa a acreditar no que vê. A casamenteira oficial do Vale do Café se tranca em seu quarto e em pânico afirma a si própria: “Não saio daqui e tampouco alguém entra! Esse quarto é meu! E sempre será!”. O único que consegue entrar na redoma de Ema é Jorge (Murilo Rosa), que tenta acalmá-la. Ema abraça o advogado com força e o pergunta se a situação se trata de um engano. Ele lamenta não poder aplacar a dor de Ema e afirma que realmente o que Julieta diz é verdade. A má administração das fazendas levou a família Cavalcante à total ruína. A ficha de Ema começa a cair e então ela indaga: “Se você tem todos esses detalhes e é advogado da nossa família, como não pensei antes: há quanto tempo você já sabe disso tudo, Jorge?”.

Jorge não confirma que sabe de tudo há tempos. Só omitiu a Ema a situação de sua família a pedido de seu cliente, o Barão de Ouro Verde. A moça se revolta e não ouve mais o pedido de desculpas de Jorge. Ema então vai para a sala da fazenda e se dirige a sua família: “Belo trabalho, papai e vovô! Adiaram tanto o susto para a pobre Ema que ele chegou junto com os carregadores que levarão a nossa mobília! ’, diz Ema, assustada.

A moça nem imagina, mas a solidariedade vem de onde ela menos espera. Julieta afirma que Ema poderá continuar na fazenda se quiser. A herdeira falida não entende a solidariedade da credora de sua família, que se explica, contando um grande segredo: “Solidariedade feminina. Todo mundo acha que meu marido morreu me deixando fortuna e posses. Mas, na verdade, eu era uma viúva falida e endividada. E hoje, se estou aqui, dona de um império e cobrando as dívidas de seu avô, foi graças aos meus próprios punhos”. Ema não perde a oportunidade e ironiza a bondade de Julieta: “Vossa majestade é mesmo incrível.” A Rainha do Café não se abala e rebate: “Não ironize. Aprenda. Contei isso porque acho que talvez você também seja capaz. Só precisa encontrar a mulher de fibra que mora aí dentro de você”.

 

Foto: Ema (Agatha Moreira) e Jorge (Murilo Rosa)

Crédito: Globo/João Miguel Júnior