Em sua quinta passagem pelo Brasil, a banda Magic! faz uma visita especial ao ‘Altas Horas’. Com hits como ‘Rude’ e ‘No way no’, os canadenses sacodem a arena do programa e falam sobre sua influência musical. “Em Toronto, há uma grande população jamaicana, por isso, temos um pouco do reggae no nosso som”, explica Nasri, vocalista do grupo. Com tantas vindas ao país, os integrantes até arriscam umas embaixadinhas com a bola de futebol, mas o negócio deles é mesmo o basquete.

A atriz Ágatha Moreira e o atleta Thiago Braz também são convidados de Serginho Groisman

Do outro lado do palco, está uma banda que fez história no Brasil, principalmente nos anos 1980: Plebe Rude. Antes de dar início aos primeiros acordes de “Até Quando Esperar”, o vocalista Phillippe Seabra conta sobre o impacto da música na época em que foi lançada. “Essa música acabou virando um hino e mostrou que a democracia tinha vindo para ficar”, comenta.

Guitarras à parte, o programa também recebe a atriz Ágatha Moreira e o atleta Thiago Braz, que ficam com a emoção à flor da pele quando revivem alguns momentos marcantes de suas carreiras. “Gosto tanto dessa retrospectiva que vocês fazem no ‘Altas Horas’, e a gente fica aqui, quase chorando”. O campeão olímpico no salto com vara não fica para trás quando suas imagens aparecem no telão. “Cada vez que assisto a esse momento (da vitória), vejo que todo o trabalho valeu a pena. Fico emocionado!”, diz Braz.

O grupo ucraniano Dakhabrakha também sobe ao palco do programa para mostrar um som único e diferente.

Da plateia, vem uma história de vida inspiradora. Lemaestro é o nome dorapper que buscou na música a saída do vício para uma vida melhor e agora ajuda outras crianças e jovens. Com um histórico familiar bastante conturbado e convivendo com o crime por toda parte, aos 16 anos ele se envolveu com a cocaína e abandonou seu projeto de ser skatista – que vinha dando certo. Quando foi internado, resolveu fazer um projeto “para que outras crianças não seguissem o meu exemplo”. Assim, nasceu o MCs Pela Educação, que tem como lema a “ostentação da educação”.