Desde o início da carreira, Luan Santana brilha forte como o meteoro que batiza seu primeiro grande sucesso, de 2009. Oito anos depois, continua emplacando hits e surpreende quem o via apenas como um representante do sertanejo universitário. Foi com a batida latina que liderou o ranking das músicas mais tocadas no rádio em 2017, com “Acordando o Prédio”. No ‘Conversa com Bial’, o cantor fala sobre a trajetória de sucesso e nega rótulos: “Minha essência é e sempre será a do campo. Mas é muito gostoso ouvir todos os tipos de música e trazer um pouco de cada uma para o meu estilo. É uma soma. Quando as pessoas me perguntam o que eu canto, respondo que canto o amor. E ponto final”.

 
Assista no Japão dia 8 de novembro
O gosto pelos ritmos latinos surgiu do contato com músicas paraguaias. “Fazia muitos shows no Mato Grosso do Sul, em cidades da divisa com o Paraguai. Essa batida envolvente da música latina ficou gravada no meu subconsciente”, conta Luan, nascido em Campo Grande, capital sul-mato-grossense. Depois de gravar clipes em Cuba e na Colômbia, o cantor revela que quer aproveitar a globalização e a facilidade propiciada pela internet para conquistar o mercado latino. “Antigamente, para fazer carreira internacional, você tinha que se dedicar a isso e esquecer o seu país. Hoje, não é preciso abandonar uma coisa para fazer a outra”, analisa.

No programa, além de cantar sucessos do início da carreira, como “Sinais” e “Você Não Sabe O Que É Amor”, Luan lança “Check-In” e agradece o carinho da plateia: “É muito emocionante imaginar que faço parte da vida de tantas pessoas”, diz o cantor, que tem mais de cinco mil fã-clubes.

 

 

Foto: Pedro Bial entrevista Luan Santana

Crédito: Globo/Patrícia Stavis