‘Como Será?’ estreia terceira temporada do quadro ‘Qual vai ser?’, que ajuda jovens indecisos na escolha de uma profissão. No estúdio, Sandra Annenberg entrevista especialista em direitos humanos

 

O novo quadro será exibido domingo, dia 1 de abril
O ‘Como Será?’ apresenta uma nova turma de estudantes em busca de ajuda para escolher uma carreira na terceira temporada do quadro ‘Qual vai ser?’. O episódio de estreia mostra a trajetória de Eduarda de Castro Mendes, de 15 anos, que teve a oportunidade de experimentar três profissões: Relações Públicas (escolha dela), Psicologia (desejo da família) e Relações Internacionais (indicação da especialista). No estúdio, Eduarda, acompanhada da mãe, conversa com Sandra Annenberg e com a orientadora profissional Katia Ura sobre o processo de escolha. E revela sua decisão.

O assassinato da vereadora Marielle Franco, do Rio de Janeiro, provocou grande mobilização social e levantou uma série de questionamentos sobre o que são direitos humanos, tema defendido pela vereadora. Para esclarecer o que são, quais são, como reagir a violações, entre outras questões, Sandra Annenberg recebe no estúdio o professor de Direito, Renan Quinalha.

Alexandre Henderson mergulha no universo das pessoas que transformam o lixo em renda no ‘Hoje é dia de… catador’. O repórter acompanha a rotina desses trabalhadores, que podem chegar a puxar mais de 100kg em seus carrinhos. Com bom humor e otimismo, ele fala da importância dos catadores para uma cidade. Outra reportagem apresenta a cooperativa que usa a coleta seletiva para inclusão social, promovendo dignidade e qualidade de vida para seus cooperados. Alexandre também visita a ONG que promove atividades esportivas e culturais para crianças e jovens de famílias de catadores do Jardim Gramacho, onde funcionou o maior aterro sanitário da América Latina.

No quadro ‘Expedição Digital’, Renato Cunha viaja até Curitiba para mostrar como projetos de inovação digital estão revolucionando a medicina. Na sede de uma start up criada por estudantes de Engenharia da Computação, a reportagem mostra como são desenvolvidos instrumentos voltados para a telemedicina – dispositivos mais rápidos, mais baratos e menos invasivos para diferentes tipos de exames feitos hoje em todo o Brasil. Renato também apresenta um dispositivo portátil que faz exames de sangue à distância: a partir de uma gota coletada, os dados são digitalizados e o resultado é transmitido para um laboratório central, onde é analisado pela equipe médica que emite o laudo em poucos minutos. Por fim, o repórter conta a história do robô Laura, desenvolvido com base em inteligência artificial para identificar logo nos primeiros momentos os casos de sepse (infecção generalizada).

Sobre o ‘Como Será?’

 

O ‘Como Será?’, parceria do Jornalismo e da área de Responsabilidade Social da Globo com a Fundação Roberto Marinho, tem como objetivo compartilhar com o público experiências transformadoras, exemplos de cidadania e colaborar para a construção de um futuro melhor ao tratar de maneira integrada temas como educação, ecologia, mobilização social, trabalho e inovação. É um espaço para apresentar, conhecer e incluir pessoas e ideias, que conta com a interatividade como grande aliada.

Foto: Sandra Annenberg recebe Eduarda, de 15 anos, na estreia da terceira temporada do quadro ‘Qual vai ser?’

Crédito: Globo/Divulgação