Gordo (Herson Capri) sempre foi apaixonado por rock, mas era tímido demais para subir num palco. Além disso, não queria a vida de músico. Resolveu, então, montar um pequeno estúdio no enorme apartamento da família. Era o embrião da Som Discos, gravadora especializada em rock brasileiro. Foi nessa época que Lázaro (João Vicente de Castro) convenceu Gordo a produzir o primeiro disco solo de Gui (Vladimir Brichta).

A novela tem estreia prevista para quinta-feira, dia 10

Gordo soube fazer a gravadora crescer sem jamais abrir mão da autenticidade e da qualidade. Para ele, o valor mais alto é o artista. Boa praça e generoso, as portas da gravadora e de sua casa estão sempre abertas, a qualquer hora do dia ou da noite, para seus contratados. Orgulha-se de não ter em seu cast um artista sequer que ele próprio não goste de ouvir. Gui foi sua primeira aposta e fez a gravadora se tornar uma referência de qualidade e sucesso.

Ao lado de Diana na Som Discos, trabalha a assistente Vanessa (Lorena Comparato). A jovem adora criticar o mundo do show business, mas não abre mão de estar ao lado da chefe, a quem idolatra e tenta copiar a maneira de se vestir. Ali também trabalham a secretária Nanda (Kizi Vaz), que cuida das agendas de Diana e de Gordo, a recepcionista Syl (Lara Lazaretti) e a técnica de estúdio Tainá (Marjorie Gerardi) que, para desgosto da diretora artística, já teve um caso com Gui.

Apesar de o rock ser um gênero resistente, quando as mudanças no mercado da música atingem todas as gravadoras, a Som Discos acaba sofrendo mais do que as outras. Desde que assumiu seu posto, Diana aconselhava o pai a diversificar para sobreviver, além de aprender a lidar com o mercado digital, mas Gordo, teimoso, não aceitou. O restante do cast não ajuda muito. Além de Gui, seu maior nome, a Som Discos tem um catálogo internacional pequeno e um punhado de contratados menores. A gravadora ainda é respeitada, mas tem sérios problemas financeiros. Gordo, porém, tenta demonstrar que tudo está na mais perfeita ordem.